Título Original: Bloodlines



Páginas: 397


Autor: Richelle Mead


Editora: Seguinte



Tempo de leitura:  Duas Semanas


Nota: 5/5






Leitores !

Depois de ficar completamente viciada e apaixonada por Academia de Vampiros decidi ler o spin-off por duas razões eu A-M-O a Sydney Sage e o Adrian Ivashkov. Por ser um spin-off essa resenha PODE CONTER SPOILERS DO ÚLTIMO LIVRO DA SÉRIE ACADEMIA DE VAMPIROS. Confiram:

Sydney estava encrencada. Em sua última missão, ela tinha ajudado a dampira Rose Hathaway a escapar da prisão, e essa aliança foi considerada uma traição grave, já que vampiros e dampiros são criaturas terríveis e antinaturais, ameaças àqueles que os alquimistas devem proteger - os humanos. Com sua lealdade colocada em questão, Sydney se sente obrigada a voluntariar-se para uma tarefa nada agradável - ajudar a esconder Jill Dragomir, uma princesa vampira que está sendo perseguida por rebeldes que querem o poder. Caso ela seja capturada e assassinada, a rainha Lissa ficará sem nenhum parente vivo e, como manda a lei, terá de abdicar do trono - o que culminará numa guerra civil tão sangrenta no mundo dos vampiros que certamente afetará a humanidade.

Outras capas:

Antes de qualquer coisa se você quer ler essa série apenas para ver Rose em Sydney é melhor esquecer. A loira alquimista Sydney Sage tem uma personalidade espirituosa, amável e até religiosa. Ela é incrívelmente inteligente e sabe lidar com a vida, porém vivendo apenas nas regras dos alquimistas não consegue tomar suas próprias escolhas.

Sydney foi acusada de traição a sociedade alquimista por ajudar a sensual Rose Hathaway e desvendar todo o mistério por trás do assassinato da Rainha Tatiana, da qual ela tinha sido acusada e presa. Por ter uma divida com Abe Mazur, pai da dampira (tal divida que só vamos entender nas últimas páginas de Laços de Sangue).

Ela é enviada com a missão de proteger Jill Mastrano a meia irmã da Princessa Lissa Dragomir, como os moroi tem a lei que exige que para estar no trono o escolhido tem que ter família, Jill passa a ser ataca por morois e tem que fugir para Palm Spring.

Keith é a personagem mais chata do livro, perdendo apenas para o pai da Sydney. São personagens das quais não temos sentimento nenhum a não ser ódio. O pai da Sydney a trata como lixo, apenas como trabalho e nunca dá o amor que ela nitidamente precisa. Keith quer acabar com a vida da Sydney por conta dos seus negócios.

Richelle Mead me faz ser apaixonada completamente por suas personagens. Syndye é ainda melhor que Rose, é uma das poucas personagens das quais me identifico, até hoje só duas conseguem me descrever Emma de Um Dia e agora Sydney. A autora busca personagens realistas e é isso que tanto amo nela.

A escrita segue o padrão dos demais livros da saga Vampire Academy, palavras sucintas, claras e sem enrolação. Ela não foca tanto na descrição e os acontecimentos dos dias são gostosos de ler, todos os livros dela tem uma leitura gostosa.

Jill mostrou-se uma personagem um tanto egoísta e diversas vezes me lembrou infinitamente Lissa, sua irmã, acho que sim a Richelle quis que elas se parecessem de algum modo, a única diferente que é Sydney não se parece com a Rose.

Eddie é ótimo nesse livro aparece mais que em todos os outros e tornou-se uma personagem incrivelmente amável. Ele é fantástico, gostei muito da forma como foi tratado no primeiro livro. 

Adrian Ivashkov. Meu amor. A personagem que me apaixonei ainda em Vampire Academy. Ele está o mesmo Adrian de sempre só que ainda melhor já que felizmente aparece mais. Adorei isso. O que gosto na autora é que ela não muda suas personagens eles mantêm uma personalidade única.

A narrativa é incrível, se não fosse meus compromissos teria lido mais rápido sem dúvida. Os mistérios que foram envolvidos são ótimos, alguns já foram resolvidos e outros sem dúvida voltaram no próximo livro.

Sydney coloca suas crenças em prova conversando com morois, dampiros e humanos. No decorrer da história ela se vê amiga de humanos como o fofo do Trey um humano que é exatamente como Sydney; doce, inteligente e dedicado. Sydney pela primeira vez se vê liberta para viver sua vida nos padrões alquimistas.

Richelle Mead se superou na escrita de Bloodlines, o livro é totalmente diferente do que eu mesma esperava. Um detalhe que achei interessante é que mesmo lendo apenas Bloodlines você consegue compreender, porque algo característico dela é relembrar os fatos já acontecidos.

O livro é realmente muito bom e vale apena ler, conferir, porque Adrian Ivashkov está ainda melhor na companhia da calorosa Sydney Sage. Se você é apaixonada por Vampire Academy tanto quando eu e não quer se despedir deles, apaixone-se por Sydrian e seja muito feliz !



Deixe um comentário