Título Original: Willow



Páginas: Ebook: 226 / Físico: 352


Autor: Julia Hoban


Editora: Leya


Tempo de leitura:  Uma Semana


Nota: 4/5






Heey !

Fiquei festejando quando a Leya me cedeu esse livro para resenha, eu queria muito lê-lo desde que começou a ser divulgado nas redes sociais. Então segurem os forninhos e confiram a resenha:

Sete meses atrás, em uma noite chuvosa de março, os pais de Willow acabaram bebendo muito durante o jantar e pediram a ela que guiasse o carro até em casa. Por uma fatalidade, Willow perdeu o controle do veículo e seus pais morreram no acidente. Consumida pela culpa, Willow deixa para trás sua casa, amigos e escola e, enquanto tenta retomar a relação de afeto e companheirismo com o irmão mais velho, secretamente bloqueia a dor da perda cortando a si mesma. Mas quando Willow encontra Guy, um rapaz tão sensível e complexo quanto ela, mudanças intensas começam a acontecer, virando seu mundo de cabeça para baixo. Contado de modo cativante e doce, Willow é um romance inesquecível sobre a luta de uma jovem para lidar com a tragédia familiar e com o medo de se deixar viver uma linda história de amor e cumplicidade.

Outras capas:



Inicio dizendo que não é um livro para todos os públicos, ele tem o conteúdo pesado como do livro Garotas de Vidro. É o tipo de tema que muitas vezes, por não conhecemos, temos certo "pré-conceito" e julgamos as pessoas que as tem. Em Garotas de Vidro é os distúrbios alimentares, voltando a Willow é a automutilação.

Willow dirigia o carro no momento que sofreu um acidente com os pais, depois do fatídico dia ela perdeu os pais nesse acidente. A culpa começou a corroê-la, Willow não conseguia explicar para si mesma porque a vida mudou tão bruscamente.

As narrações do livro são extremamente realistas, não tem como explicar exatamente porém as palavras ditas na terceira pessoa são pessoais e carregadas de sentimentalismo. A dor da Willow é passada em palavras de um jeito tão delicado e sensível que a dor dela pode ser, de certo modo, compreendida.

Livros em que problemas dessa magnitude são tratadas em u de vistam linguajar adolescente fazendo o problema ser visto pelos olhos de quem o sente, acho interessante porque geralmente ouvimos psicólogos ou matérias de médicos falando sobre eles. Ver pelo ponto de quem sente.

Ela mudou-se para morar com o irmão, a cunhada e sua sobrinha. Daniel, seu irmão, se afastou em proporções grandiosas de Willow, ele ficou com toda aquela dor acumulada e simplesmente nunca fala sobre os pais ou sobre como se sente em relação ao acidente e isso tem matado Willow aos poucos.

Para aliviar as dores que esses assuntos lhe causam Willow passa a se mutilar, as narrações dessas partes são fortes porque é muito bem descrito a lâmina enterrando na sua pele e o sangue jorrando Willow explicando como aquilo torna tudo mais suportável, é real. O livro inteiro é real.

O livro é intenso, real e doloroso em algumas partes. É isso que o torna tão bom, um YA incrível que todos deveriam ler em algum momento da vida, mesmo que não seja o tipo de livro que gosta. Esse tipo de psicologia que envolve livros desse tema são profundos.

Willow trabalha em uma biblioteca no campus de uma faculdade para ajudar nas despesas de casa. Lá ela conhece o Guy, um inteligente e bonito garoto que sempre estudou na sua nova escola mas, que ela nunca viu. A personagem tornou-se tímida, não insegura, e sempre quer se tornar investível.

Guy é  ainda mais construído que a Willow. Quando ele descobre, de um jeito inusitado, que a garota se automutilação. Ele que conhece seu irmão Daniel, quer contar a ele porém acaba prometendo a Willow que não fará isso. Logo, Guy se sente responsável por ela. Guy faz exatamente o papel da pessoa que quer ajudar.

Ele se sente perdido querendo saber como pode ajudar, Guy se sente como todas as pessoas que vêem a automutilação. Tudo que ele deseja é entender que tipo de dor é a que ela sente, porque o corte alivia a dor. Ele quer entender e por hora sente o mesmo que o leitor. A confusão de entender quem sofre desse distúrbio.

Em alguns momentos tive raiva do irmão da Willow, ele mostrava-se fechado no próprio sofrimento como se ela ao menos fosse sua irmã. Porém, teve momentos em que foi possível compreender porque ele era daquele jeito.

É um livro fantástico com personagens dinâmicos e reais. Adorei a leitura, é o tipo de livro que faz estarmos dentro do problema dos outros e isso é que os livros bons fazem. Instigam o leitor a ser, não só o personagem, como bom entendedor.

Esse livro pode não ser para todos os gostos e é um tema forte retratado, mas é uma leitura incrível. O escritor deve ganhar pontos quando personagens com distúrbios psicológicos são construídos em cima de experiências que pessoas reais que passam por isso se vejam nela.

Willow está longe de ser a protagonista mais centrada de todos os YA. Contudo, no decorrer do livro ela se mostra forte. Guy faz ela perceber que toda aquela dor pode ser contornada. Gostei muito da leitura, embora ela seja agoniante as vezes.

Leiam Willow entenda como um multilamelado se sente, eu tinha certo "pré-conceito" das pessoas com essa doença e depois de ler Willow pude vê-las com outros olhos. Acho que a mensagem principal do livro é sentir, não importa o quanto doa sinta e viva ao máximo.

Realmente Leya se superou dessa vez. Até a próxima !






12 Comentários

  1. Ain e lia resenha desse livro semana passada! e já até comentei com a minha irmã de que precisamos muito desse livro!
    Nem acredito que até semana passada eu não conhecia ele >.<

    beijos
    tamigarotaindecisa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leiam, sem dúvida não irão se arrepender ><

      Bjoos Miih

      Excluir
  2. Olá Miih,
    Willow possui um tema bem forte e parece ser daqueles livros que todos deveriam ler pelo menos uma vez. O livro parece ser ótimo, eu vou começar ele assim que terminar o que eu estou lendo.
    Beijos...
    Rain, Books & Coffee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii !

      Sim, o tema de Willow é bem forte mas é muito bom super recomendo.


      Bjoos Miih <3

      Excluir
  3. oi ^^
    nossa, hoje é o dia dos blogs lindos <3 é cada blog que visito com layout lindo!
    parabéns! foi você quem fez?
    o livro trata mesmo um assunto super delicado mas eu acho que é exatamente isso que precisa ter em um livro - não assuntos pesados, necessáriamente - mas assuntos que te façam pensar, que te deixem alguma lição, por menor que seja para sua vida, que te façam uma pessoa melhor!
    eu adorei sua resenha, o livro parece ser ótimo, do tipo que eu gosto! adicionarei a minha lista de espera enorme rsrs
    eu não sabia que a Leya fazia parceria com blogs, eu ainda não tenho nenhuma parceria com editoras, como é o processo de escolha?
    beijos :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey ! Obrigado, foi eu sim :3 Sim, é um tema pesado mas que vale apena ler por conta de como o tema é tratado. Realmente é um tipo de livro que faz de nós pessoas melhores.
      Eles fazem sim, geralmente é no começo do ano tem que ficar de olho, você preenche ao formulário e eles dizem se você passou ou não ><

      Bjoos Miih <3

      Excluir
  4. As capas são bonitas e já me chamaram a atenção... Nunca li um livro desse gênero, talvez o mais perto que tenha chegado foi As Vantagens de Ser Invisível. Quero muito ler Garotas de Vidro também, que está na minha lista há séculos :)
    Olha, vou ser bem sincera: eu não acho que se automutilar faça qualquer sentido, embora eu não zombe de quem faz isso. Estou intrigada em saber de que maneira Willow pode mudar minha opinião. De qualquer maneira, assim que surgir uma oportunidade eu vou lê-lo (e também Garotas de Vidro!).
    Bye bye~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é mesmo linda, Garotas de Vidro é ótimo, super recomendo a leitura. Não gostei tanto de As Vantagens de Ser Invisível, sinceramente. Eu também não achava que havia motivos, mas lendo esse livro você sente o que Willow sente, e vê como alguém pode chegar aos extremos pelos sentimentos.

      Bjoos Miih <3

      Excluir
  5. forteee heinnn gostei do post
    seguindo e comentando
    http://www.dicasdadacy.blogspot.com.br/
    espero sua visita bjuxxxx

    ResponderExcluir
  6. Oi, quero ler esse livro, pois parece ser bem intenso, eu li Garotas de Vidro e entendo o que você disse. Gostei da resenha e agora entendo um pouco mais do livro.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii , sim é um livro muito intenso, eu gosto bastante de Garotas de Vidro.

      Bjoos MIih <3

      Excluir