Título Original: Private



Páginas: 205


Autor: James Patterson


Editora: Arqueiro


Tempo de leitura: Três Dias


Nota: 3/5







Heey !


Depois de ler "Entre O Agora e o Sempre" finalmente vou começar a ler minhas comprinhas da Bienal do Livro, o primeiro será Private do James Patterson, confesso que comprei pelo preço baixo, mas também porque a sinopse era ótima.

Jack Morgan é dono da Private, a melhor agência de investigações que existe, com escritórios em vários cantos do planeta. É a ele que os homens e as mulheres mais influentes do mundo recorrem quando precisam de total eficiência e máxima discrição. A agência é o único recurso quando a polícia não pode fazer mais nada.
Enquanto Jack e sua equipe investigam o assassinato de 13 garotas, surgem dois outros casos, bem mais pessoais. Fred, tio de Jack, procura-o pedindo ajuda com um escândalo financeiro que pode destruir a liga profissional de futebol americano. E a esposa do melhor amigo de Jack, Andy Cushman, é encontrada morta.
Com a Private, nenhum caso fica sem solução. Os três mistérios parecem insolúveis, mas Jack conta com os melhores investigadores e com o que há de mais avançado em tecnologia – recursos que, muitas vezes, não estão à disposição da polícia. Além disso, a agência não responde a instituições oficiais, portanto, nem sempre precisa jogar de acordo com as regras.


Título Original: The Edge Of Never


Páginas: 359


Autor: J.A. Redmerski


Editora: Suma das Letras


Tempo de leitura: Duas Semanas


Nota: 4/
5






Heey !

Fiquei um tempo longe das resenhas porque estava relendo livros que gosto bastante, enfim minha amiga já leu os dos livros da J.A. Redmerski e queria que eu lesse esse, inclusive porque estava me afeiçoando a livros do gênero. Então, confira minha resenha:

Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.
Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.
Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.

Capa americana:


Heey !

Vou contar em detalhes minha aventura na Bienal ontem, ainda hoje depois de uma bela noite de sono estou moída mas, confesso que faria tudo de novo. Aquilo estava cheio demais, pior que um estádio em dia de clássico, meu corpo foi esmagado literalmente, era sacola para um lado, mochila para o outro e o melhor livros !

Vamos começar do começo e.e, acordei as 6h da manhã e acabei chegando lá (por causa do transito) umas 9h, porém eu esqueci de fazer a credencial do blogueiro, e para minha sorte a Leya me deu um ingresso, porém minha acompanhante (Tiia linda *u*) ainda não tinha ingresso. A fila estava quase na saída do hotel, mas foi tão rápido que me surpreendeu. 

Estava bem organizado, uma das únicas coisas na verdade, depois a fila estava quase na avenida para entrar, claro era o dia em que Cassandra Clare, Harlan Coben & Kiera Cass estariam ali tirando os milhares de autores nacionais.

E lá estávamos nós caminhando para o final da fila, onde quer que fosse, porque não dava para ver. Foi então que fiz as primeiras amizades, um grupo de pessoas deixou que nós ficássemos ali com eles, conversamos e acabamos por descobrir que a Saga do Tigre é ótima, que As Peças Infernais é melhor que Instrumentos Mortais e que todos estavam ali pela Cassie ou pela Kiera.

Foi uma louca única para entrar, gente se empurrando e até cortando fila, eu mesmo fiz isso bem lá na entrada, passei por debaixo da corrente e entrei, foi até engraçado porque o cara ficava dizendo para chamarem o bombeiro que os leitores iriam invadir, e alguns gritavam para ele "Sai daí Peeta, queremos entrar" ele até lembrava mesmo.

Então ufa, por fim entramos. Logo corremos para o estande da Galera Record. Gente foi tipo Jogos Vorazes, elvei uma cotovelada que doeu pra caramba, eu corri, corri até o estande e quando cheguei próximo já tinha gente chorando e dizendo "O ingresso pra ver a Cassandra esgotou", nem cheguei a tentar o da Kiera porque todos estavam dizendo que o ingresso tinha sido distribuído no dia anterior e que saiu briga (briga de leitor, claro).

Eu já conformada com isso acabei indo conhecer outros estandes, não entrei no da Intrínseca e fiquei triste porque tinha livro barato demais, acabei ficando do lado de fora porque ninguém conseguia entrar de tanta gente. Começou então as fotos,a primeira foi no estande da Novo Século.

Eu de calça azul e minha tia de calça vinho 

Vocês não tem noção de como aquilo estava cheio, alguns estandes tipo Rocco, Galera Record estavam impossíveis de entrar, e as filas chegavam a dar a volta no estande como na Editora Seguinte. Algumas filas eram absurdas, e outras valiam apena como a da Editora Sextante.

O da Rocco eu entrei rapidinho e não tinha nada de barato, o livro da Pretty Little Liars estava R$:40,00 mais caro que na internet e os livros como "Guia do Iniciado: Divergente" estava um verdadeiro absurdo. A fotinho que eu tirei era de graça, mesmo eu querendo o "A Esperança", mas também estava caro. A foto mesmo ficou horrível, mas era o tordo né gente u.u


Eu mesmo não comprei tantos livros, comprei os que mais queria. Depois de passar no estande da globo e comprar Battle Royale por R$: 29,00 reais, o que eu achei barato porque sempre que via esse livro era mais de R$: 40,00, fui andar pelo da Galera Record. Que estava horrível.

Sinceramente a Galera me decepcionou nessa bienal, as senhas da Cassie má distribuídas, e toda hora não podia entrar no estande porque estava lotado e a gente via que não havia tantas pessoas assim, aí eles ficavam "Aqui é saída" por toda a porta, e só tinha duas e.e

O jeito foi tirar foto mesmo, porque entrar lá dentro que era bom nada. Foi até engraçado quando tirei essa foto, o cara passou e disse que eu era bonita, claro iludiu mas fez uma leitora animada no dia do seu aniversário.


Então comprei mais livros, a foto mostra todos os brindes e livros. O estande da Novo Conceito era o "fluxo" como dizem por aqui, tinha brindes e qualquer um podia pegar, qualquer um mesmo era só pedir aos que trabalhavam lá, os que eu peguei (os brindes) eram da série Masgisterium da Cassandra Clare com a Holly Black.


O livro mais caro foi o Battle Royale, o resto foi entre 9 e 14 reais, e tem os marca páginas que são lindos também, embora eu não tenha pegado muitos. Então depois foi a melhor parte do meu dia, eu vi a Cassandra Clare, não, não consegui o ingresso, mas vi ela de longe e fiquei tremendo de vê-la tão pertinho.  A foto vai explicar melhor o aperto que estava.


Logo vocês poderão ver alguns vídeos da loucura que estava por causa dela, vou postar no youtube. Eu e minha Tia, fãs da Cassie, ficamos muito felizes em vê-la mesmo que de longe, então tiramos um shadowselfie *u*


A bienal tinha preços ótimos e apesar de estar muuuuito cheia foi um dia maravilhosos demais. Essa foi só um pouco da aventura, estava cheio, como uma arena, conheci muita gente leitores ótimos. E é um evento que deveria não ser apenas a cada dois anos. Tirei muita Selfie.


Inclusive uma selfie na muvuca da Cassandra, no telão de fundo é ela quem estava falando.


Espero que tenham gostado do post, até a próxima !








Heey !

Ontem a Kiera anunciou no youtube que o ano que vem teremos mais dos livros de A Seleção. Eu saio por algumas horas para ir para a escola e quando volto meu forninho cai com essa notícia (eita Giovana e.e).

Serão mais dois livros, com alguns personagens conhecidos e amados por nós e obviamente outros novos. Fora isso, esses livros ainda terão um POV (Ponto de Vista, em inglês) que não será da America. O primeiro livro tem lançamento previsto para Maio nos EUA e se chamará The Heir (Algo como o "O Herdeiro")

Kiera ainda anunciou que teremos mais dois contos "The Queen" (A Rainha) & "The Favorite" que será no ponto de vista da Marlee. Juntos esses contos foram o livro "The Selection Stories 2" E eu aqui nem tenho o um e.e

Confiram a capa:


A página Princesas de Illéa  encontrou o novo epílogo de "A Escolha" traduzido. Confiram:



Meio acordada, eu espantei uma cocéguinha em meu ombro. Aconteceu novamente, e eu tentei fazer parar de novo. As cócegas retornaram, deslizando por minhas costas. Oh. Não era uma brisa aleatória ou outra pena que tinha escapado do meu travesseiro.Aquilo eram beijos.
Com os olhos ainda fechados, eu sorri para mim mesma quando Maxon afastou uma mecha do meu cabelo a fim de encontrar um novo lugar para beijar. Acordar sentindo a respiração de Maxon em minha pele me lembrou de como nós acabamos presos a estes lençóis no começo.Eu ri quando sua boca atingiu um ponto sensível no meu pescoço.- Bom dia, querida - ele sussurrou.- Bom dia.- Eu estava pensando, - ele começou, murmurando as palavras colado em meu rosto. - Sendo que é meu aniversário, você não acha que poderíamos passar o dia inteiro na cama?"
Eu sorri e forcei meus olhos sonolentos a ficarem abertos.
- E quem vai governar o país?- Ninguém. Deixe-o cair aos pedaços. Enquanto eu tenho minha America em meus braços.
Seu cabelo era uma bagunça perfeita, e ele estava tão quente que até a ultima partícula do meu corpo não queria nada além do que ficar aqui com ele. Foi completamente fascinante para mim o jeito que o nosso amor cresceu. Eu pensei que tinha encontrado um jeito de lhe dar tudo que eu tinha, mas depois de aprender uma coisa nova, ouvir uma nova história, passar por uma experiência nova, meu coração só se enchia.
- Mas e a festa? Passamos semanas planejando? - eu reclamei.Ele apoiou a cabeça em sua mão. - Hmm. Ok, vamos dar uma pausa de dez minutos para conferir a festa e voltar logo. - Ele passou os braços em volta de mim, e eu ri quando ele me cobriu de beijos.
Estávamos tão distraídos que nem ouvimos o mordomo abrir a porta - Vossa Majestade, temos uma ligação.Antes que ele pudesse terminar, Maxon jogou um travesseiro nele, e o mordomo recuou para o corredor, fechando a porta atrás de si. Houve uma pausa antes dele soltar um "Desculpe, senhor", com a voz abafada;Eu tinha me acostumado com a falta de privacidade, uma vez que se vive no palácio, e, em meio de tantos momentos embaraçosos, este foi um dos melhores. Cobri minha boca, tentando conter o riso, e quando Maxon viu meu sorriso, ele sorriu também - Bem, acho que isso responde à minha pergunta.Sentei-me para beijar seu rosto e imediatamente senti uma onda de tontura - Oh!- Você está bem?- Mmhm - eu murmurei, cobrindo minha boca - Levantei muito rápido.Ele passou a mão nas minhas costas, e eu me inclinei para ele.- Que horas a festa começa?- Seis. Todo mundo está vindo, até a minha mãe.- Oh, então vai ser realmente uma festa.Eu o golpeei. - Você nunca vai esquecer isso? Foi só uma vez;- Ela dançou na fonte na véspera de Ano Novo, America - disse ele, com uma diversão infantil em seus olhos - Foi incrível, e eu nunca vou esquecer isto.Eu suspirei. - De qualquer forma, não se atrase. Eu vou me vestir. Vejo você no café da manhã.- Okay.
Eu puxei o lençol da cama, envolvendo-o em torno de mim.Ele deitou-se e ficou me olhando ir. - De todos seus vestidos, este é o meu favorito.Mordi o lábio enquanto dava uma última olhada nele antes de abrir a porta que dava para a minha suite. Não havia nenhum jeito de ter o suficiente dele para mim.Mary estava esperando por mim, é claro. Ela estava acostumada a me ver andar de volta do quarto do Maxon ou observá-lo por trás da porta, mas toda vez que ela me pegava ela sorria.- Bom dia, Vossa Majestade - ela me cumprimentou com uma reverência - Teve uma boa noite?- Tire esse sorriso do seu rosto! - eu a provoquei, jogando o lençol nela e correndo para o banheiro.
Eu estava preocupada com o corte do meu vestido, mas se encaixava de uma forma espetacular. Cabeças se viraram quando entrei para a festa, e eu tentei aceitar a atenção graciosamente. Mesmo depois de dois anos de casamento, sendo o centro das atenções, ainda estava tentando me acostumar totalmente.May correu para meu lado - Você está radiante, Ames!- Obrigada. Você cuida muito bem de você mesma!
Eu toquei um de seus cachos perfeitamente penteados e fiquei maravilhada com o quão bem que minha irmã havia se ajustado à vida real. Não que eu tivesse ficado surpresa. Ela sempre foi encantadora e maravilhosa, e quase que instantaneamente quando ela se mudou para Angeles, May tornou-se queridinha da mídia. Enquanto muitas fotos minhas seriam impressas amanhã, haveriam o dobro de May.
- Você está se sentindo bem? - ela perguntou.- Só um pouco distraída. Vá se divertir. Eu preciso ter certeza de que tudo está funcionando perfeitamente.- Me divertir? Estou dentro - ela saiu correndo, acenando para as pessoas que eu tinha certeza que ela nem conhecia, toda contente. A festa estava em pleno andamento até agora, e parecia que os convidados estavam se divertindo. A decoração era simples, a iluminação era adorável, e os músicos estavam fazendo um excelente trabalho. Eu esperava que o Maxon ficasse satisfeito.Eu caminhei pelo salão, provando alguns canapés no caminho. Nenhum dos alimentos pareciam extremamente atraente, no entanto. Os favoritos do Maxon, não eram exatamente os meus, eu só tinha que esperar que todo mundo tivesse gostando do cardápio.
Estiquei-me na ponta dos pés, examinando o salão. Se Maxon tivesse me escutado, ele deveria estar por aqui agora. Eu não o encontrei, mas vi Marlee. Ela correu assim que me viu, deixando Carter falando com alguns dos guardas.- A festa está incrível, América - ela emocionou-se, beijando minha bochecha.- Obrigada. Estou tentando achar Maxon. Você o viu?Ela virou-se para mim - Eu o vi entrar, mas não tenho ideia de onde ele possa estar agora.- Hmm. Eu vou ter que ir atras dele. Como está Kile?Ela sorriu animadamente - Bem. Estou tentando me acostumar a deixar uma babá coloca-lo para dormir.
Kile tinha um pouco mais de um ano de idade, e Marlee simplesmente o adorava, assim como eu. Ele era o único homem que passava grande tempo no Salão das Mulheres sem pedir pedir permissão.
- Eu tenho certeza de que ele está bem, Marlee. E vai ser bom passar um tempo sozinha com Carter.Ela assentiu com a cabeça - Você está certa. Nós dois estamos nos divertindo muito. Mas espera para ver. É difícil deixa-los, mesmo que por pouco tempo.Eu sorri - Eu posso imaginar. Vá, e desfrute da comida. Vejo você mais tarde.- Tudo bem - ela me deu outro beijo e foi até Carter.
Eu rodei pelo salão, procurando o meu marido. Quando finalmente o vi, meu coração se iluminou. Não simplesmente porque eu estava feliz em encontrá-lo, mas porque ele estava falando com Aspen.Aspen tinha se livrado das muletas, mas havia momentos que ele ainda mancava, especialmente se ficava cansado. Nós todos considerávamos um milagre ele ter se curado tão bem, mas se alguém poderia se recuperar por pura determinação, esse alguém era Aspen.Eles pareciam estar em uma conversa profunda, e eu me aproximei, chegando por trás deles.
- O primeiro ano foi difícil? Muitas pessoas dizem que é, mas vocês dois parecem ter tirado de letra - disse Aspen.
Ele e Lucy tinham planejado se casar não muito tempo depois de Maxon e eu, mas quando seu pai ficou doente, foi tudo colocado em espera. Ele finalmente se recuperou, mas mesmo depois disso Aspen rastejava sua perna mais do que precisava. Eu suspeitava que ele estava com medo de que Lucy mudasse sua mente, e eu me sentia culpada por isso. Eles eram tão perfeitos um para o outro, ele nunca precisou ter dúvidas. E quando eles finalmente iriam juntar os trapos, eu estava tão feliz quanto no dia do meu próprio casamento.
Maxon suspirou - É difícil dizer. Eu não acho que o casamento foi a parte difícil, e sim os deveres. Era muita coisa pedir para ela assumir o papel de rainha, quando mal se acostumava com a ideia de ser princesa.
- Vocês brigam?- Você está brincando? Nós somos os melhores nisso - ele e Aspen compartilharam uma risada. Eu queria estar ofendida, mas era verdade, nós eramos bons em discutir. Ainda assim, tínhamos melhorados muito nisso.- Eu não sei porque sinto que isso seja um negócio tão grande - Aspen disse deixando seu riso desaparecer - Nós queremos casar há tanto tempo. Porque isso parece tão assustador agora que nós estamos casados?- É o titulo - Maxon tomou um gole de champagne - É assustador ser um marido. Parece que não há mais nada a perder. Eu me preocupo mais com esse título, do que com ser chamado de rei, facilmente.
- Sério?- Sério.
Aspen estava quieto, considerando isso.- Escute - Maxon começou - Eu não estou chutando você, ou algo do tipo. Você sempre será bem-vindo aqui. Mas talvez você e Lucy precisem do seu próprio espaço.- O que? Tipo uma casa?- Olhe ao seu redor. Leve Lucy com você e veja se vocês encontram um lugar que gostem, que sintam como algo que possam trabalhar em conjunto. Fazer uma vida juntos pode ser mais fácil se vocês tiverem algo que é realmente de vocês.- Marlee e Carter estão muito bem aqui.- Eles são um casal diferente.Aspen olhou para baixo, e eu podia ver que ele sentia como se tivesse falhado.
Maxon bateu em suas costas - Eu não confio em muitas pessoas do jeito que confio em você. Você já fez muito por mim e pela America. Basta ir olhar. Veja se há algo lá fora que vocês dois realmente amem, e se houver, considere como um presente nosso.- É seu aniversario. Você deveria ser o único a receber presentes - Aspen protestou, mas havia um sorriso no rosto o tempo todo.- Eu tenho tudo que eu quero. Um país em ascensão, um casamento feliz, e bons amigos, senhor.
Aspen levantou o copo com um sorriso, e eles beberam. Pisquei e lágrimas felizes escaparam tocando Maxon em seu ombro.Ele se virou e abriu um arrasador sorriso.
- Aí esta você, minha querida.- Feliz aniversário.- Obrigado. Esta é realmente a melhor festa que eu ja tive.- Você fez tudo muito bem Meri - Aspen acrescentou.- Obrigada a ambos - virei para Maxon - Eu preciso te roubar um pouco.- Claro. Nós conversamos mais depois - Maxon prometeu a Aspen, e me seguiu pelo salão.- Assim - eu o instrui, puxando seus braços.- Perfeito - ele disse enquanto caminhávamos para o jardim - Um descanso na loucura.
Eu ri, colocando minha cabeça em seu ombro. Sem instrução, ele nos levou para o nosso banco, e nós sentamos, ele encarou a floresta e eu de frente para o palácio.- Champagne? - ele ofereceu, aproximando o copo.- Não obrigada.
Ele tomou um gole e suspirou satisfeito - Esta foi uma escolha maravilhosa. Sério, America, este foi o melhor aniversário que eu poderia ter tido. Bem, o segundo melhor. Eu ainda teria gostado da opção que te dei esta manhã;Eu sorri - Talvez ano que vem.- Eu vou aguardar por isto.
Eu respirei profundamente - Olha, eu sei que temos uma noite inteira pela frente, mas eu queria te dar seu presente de aniversário.- Oh, minha querida, você não precisa me dar nada. Cada dia com você é um presente - ele se inclinou e me beijou.- Bem, eu não tinha planejado te dar esse presente, mas então algo se apresentou e bem aqui estamos.- Tudo bem, então - disse ele, colocando o copo no chão - Estou pronto. Cadê?- Esse é o único problema - eu comecei. Senti minhas mãos começar a tremer - Não vai chegar até uns sete ou oito meses.Ele sorriu, mas olhou de soslaio - Oito meses? O que no mundo poderia demorar...
Suas palavras sumiram assim como seus olhos, deixando meu rosto e fazendo o caminho para minha barriga. Ele parecia esperar que estivesse diferente, grande como uma casa já. Mas eu tinha feito o meu melhor para esconder tudo: o cansaço, a náusea, a aversão repentina de algumas comidas.
Ele me olhou mais e mais, e eu esperava que ele fosse sorrir ou saltar para cima e para baixo. Mas ele ficou lá, congelado até o ponto que ele começou a me assustar.- Maxon? - eu estendi minha mão e toquei sua perna - Maxon, está tudo bem?
Ele balançou a cabeça, ainda olhando para minha barriga. Seus olhos se encheram de lágrimas enquanto ele falava - Não é notável? De repente eu te amo cem vezes mais - ele disse - E eu achava que não era possível amar uma pessoa que eu nem conhecia - ele finalmente olhou para mim - Vamos mesmo ter um bebê?- Sim - eu suspirei, respirando fundo também.Seus olhos se iluminaram - É um menino ou menina?- É muito cedo para dizer, - eu disse entre lágrimas de felicidade. - Não há muito que o médico possa dizer, exceto que há alguém aqui.
Maxon colocou suavemente a mão em minha barriga - Vamos encurtar os seus dias de trabalho, é claro, ou podemos cortá-los completamente se for preciso. E podemos ter mais empregados à disposição.- Não seja bobo. Mary e Paige são o suficiente. Além disso, você sabe que minha mãe vai querer estar aqui, e Marlee e May também estarão presentes. Eu vou ter muitas pessoas cuidando de mim.- Assim como deve ser.
Eu joguei minha cabeça para trás e ri, mas quando eu olhei para ele novamente, eu vi sua expressar mudar - E se eu for como ele America? E se eu for um péssimo pai?- Maxon Schreave, isso é impossível. Se tem uma coisa que você vai ser é generoso. Teremos que contratar uma babá rigorosa para amenizar isso.
Ele sorriu - Sem babás rigorosas. Apenas babás felizes.- Se você diz, meu Majestoso marido.Maxon limpou a garganta e enxugou as lágrimas - Estou assumindo que este é nosso segredo?- Por enquanto.
Ele abriu um grande sorriso - Por tudo isso, agora eu definitivamente sinto que temos que comemorar.
Ele me pegou, e me levou apressadamente para dentro, enquanto eu não conseguia parar de rir. Olhei para sua expressão, tão esperançoso e animado, e eu sabia que estávamos apenas começando a melhor parte de nossas vidas.

Se ainda não se cansou das novidades assista ao vídeo da Kiera dando a notícia.


Fiquei animada e triste ao mesmo tempo, as coleções hoje em dia parece nunca acabar, mas depois do final vago de "A Escolha" outros livros não será má ideia.





Bom Dia !

Ainda totalmente enrolada com a escola e com um novo projeto que estou escrevendo, a criatividade finalmente decidiu dar as caras depois de tempos. E todo escritor tem uma "bíblia" eu tenho duas "A Desconstrução de Mara Dyer" & "Misery".

Você deve estar pensando o que isso tem a ver com o post? Tudo a ver, estou relendo Mara Dyer pela terceira vez, ela me dá ideias para escrever vai entender ! Enfim, decidi criar uma tag onde apresento um escritor não tão conhecido. A primeira será a Michelle Hodkin autora do meu livro predileto.

Quer conhecer a mente brilhante por trás do insano livro "A Desconstrução de Mara Dyer"? Então continue lendo !

Heey !

Hoje os posts são curtos como já disse anteriormente, eu deveria estar estudado mas estou aqui fazendo posts novos. Tenho uma dica ótima para quem vai aproveitar a Bienal de São Paulo, conhecer a autora Janaina Blanc do livro "Jogo de Risco".

Para quem não sabe nós a entrevistamos e tem a resenha do livro.

[+] Resenha

[+] Entrevista


Então se você leu a entrevista e a resenha quer o livro ou só quer conhecer ela não esqueça de ir !




Heey !

Passando para fazer um post super rápido, porque tenho vários seminários para o dia de hoje e estou atrasada para todos, logo tenho que estudar senão as coisas ficarão bem feias para o meu lado.

Uns tempos atrás teve o concurso "A Fantasy Quer Seu Mundo?". Muitos passaram por ela e um autor nacional foi escolhido para representar a fantasia no meio em que vivemos. Recebi um e-mail apresentando esse escritor e a sua obra que está para bombar na Bienal do Livro.


Confiram:




O que acharam do livro? Prontos para um lançamento?






Título Original:  Level 2


Páginas: 215


Autor: Lenore Appelhans 


Editora: Leya


Tempo de leitura:  Três Dias


Nota:   4/5





Heey !

Nossa parceira com a editora Leya  foi renovada, e marcando esse novo semestre temos a resenha de Level 2.

"Mas, então, eu morri. E agora não consigo dormir. Exceto, porém, quanto tenho acesso às memórias do meu sono. Você não acredita em quantas vezes vasculhei os dezessete anos e 364 dias de minha vida em busca daqueles raros e ininterruptos períodos de letargia, livres de pesadelos. Porque dormir é minha única e verdadeira pausa neste eterno carretel de lembranças, tanto as minhas como as que aluguei."
Desde sua morte prematura, Felicia Ward está presa no Level 2, uma espécie de limbo localizado entre a Terra e o Céu. Junto com seus companheiros, a garota passa horas intermináveis plugada em uma espécie de câmara, revivendo lembranças de seu tempo na Terra e lamentando o que perdeu: família, amigos e Neil, o garoto que amava. Até que uma menina é encontrada morta em uma câmara vizinha e somente Felicia lembra de sua existência.
Ao mesmo tempo, Julian, um cara perigosamente encantador que ela conheceu em vida, aparece para oferecer uma saída. É quando Felicia descobre a verdade: juntando-se à rebelião para derrubar os Morati, anjos guardiões do Level 2, ela poderá estar com Neil novamente. Suspensa entre o Céu e a Terra, Felicia se encontra no centro de uma luta secular entre o bem e o mal.
As lembranças de sua vida voltam para assombrá-la e, com os Morati a caçá-la, a garota vai descobrir que não é apenas a sua própria redenção que está em jogo... Mas a salvação de toda a humanidade.

Capas em outros países: 


Bom Dia Leitores !

Estou explodindo de tanta alegria por causa da bienal, para mim é o melhor evento do ano e se pudesse iria da do Rio só para não perder o costume. Esse ano o evento trás autores como Cassandra Clare, Kiera Cass, Harlan Coben entre outros. 

Quero ir exatamente no dia 23 de agosto (além de ser meu aniversário *u* ) para ver a Cassandra e a Kiera. Então, sempre há ótimas dicas para você seguir para aproveitar bem o dia e comprar tudo que deseja.

Vamos as dicas:

  • Vá com uma roupa leve e confortável, nada de roupa apertada ou justa. Se tiver calor escolha um short e uma camiseta de cor clara, caso esteja frio basta ir de jeans e uma blusa de frio que não ocupe espaço e que não seja pesada

  • Não vá com sapatos de confortáveis, você andará bastante e se os pés estiverem doendo será ruim de aproveitar bem o evento. Como tênis, eles são confortáveis e não doem os pés.

  • Se você vai mais de um dia, não gaste tudo no primeiro dia sempre há promoções então guarde dinheiro para aproveitá-las. 

  • Não costumo ir com uma mochila, mas pode ser uma boa. Eu levo as sacolas mesmo, mas sempre levo uma maior e mais resistente caso as dos livros comecem a rasgar. Na mochila eu não confio muito já que ( se forem como eu) ficaram desatentos querendo ver tudo e tirando foto.

  • Escolha uma bolsa pequena e a tira colo, assim é mais fácil. De preferência uma que não abra tão fácil e que até tenha o zíper ruim.

  • Aproveitei para conhecer novos escritores brasileiros, e veja os que você gosta. Sempre é legal "adotar" um novo escritor, toda bienal faço isso e insisto em manter o contato com ele/ela.

  • Se você tem um blog tire fotos, colha informações, busque novos contados. Pode ser a oportunidade para uma parceria. E se você é escritor converse com as algumas editoras, ou até leve seu manuscrito, algumas aceitam.

  • Leve sua wishlist, porém não compre livros que estão em alta. Geralmente livros famosos como Jogos Vorazes, Divergente ou livros que sempre estão em alta são caros. Aproveite para comprar livros desconhecidos e baratos.

Essas são as dicas, espero que vocês tenham gostado. Comentem !






Bom Dia, Tudo Bem ?

Vamos começar a terça feira com os lançamentos maravilhosos do mês de agosto da editora Rocco. Confiram:


O anel de campeão é o símbolo máximo da NBA. Na liga norte-americana de basquete, a conquista do anel representa chegar ao topo de um dos espaços mais competitivos do mundo. E um homem pode dizer que é o maior vitorioso da história da NBA: Phil Jackson. Toda essa trajetória é narrada agora no livro Onze anéis – A alma do sucesso, que documenta como Jackson construiu times inesquecíveis (Chicago Bulls dos anos 90 e Los Angeles Lakers dos anos 2000), liderou mitos do basquete como Michael Jordan ou Kobe Bryant e construiu sua carreira no esporte como um técnico vencedor e um líder metódico, conquistando inacreditáveis 11 anéis de campeão. É bem verdade que Phil pode gabar-se de, na verdade, ter conquistado 13 anéis, já que vencera outros dois como jogador dos New York Knicks nos anos 70.




Skagboys é o oitavo romance do autor escocês Irvine Welsh. A obra encerra a trilogia iniciada porTrainspotting, que rendeu a Welsh uma posição de destaque na literatura britânica contemporânea, e completada por Pornô, todos publicados pela Rocco. Os livros acompanham a escalada do vício em heroína e suas consequências sobre as vidas de Mark Ranton, Sick Boy e sua turma de amigos.
Embora tenha sido escrito quase duas décadas após Trainspotting, Skagboys situa-se cronologicamente como o primeiro livro da trilogia. É nele que ocorre o primeiro contato dos protagonistas com o mundo das drogas pesadas, e a construção cuidadosa da obra de Welsh permite ao leitor compreender de maneira minuciosa a influência do contexto social escocês da década de 1970 sobre os atos dos personagens.
O romance se desenrola no Leith, distrito de operários localizado no norte de Edimburgo, a capital escocesa. Após a ascensão do Partido Conservador no Reino Unido com a eleição de Margareth Thatcher, os índices de desemprego dispararam em toda a Escócia, e uma geração recém-saída do ensino básico se vê sem opções de trabalho e qualquer dinheiro no bolso, mas com muito tempo livre. A turma de Mark Ranton não é exceção: seu grupo de amigos ocupa os dias tomando cerveja nos pubs, usando drogas de todos os tipos e se envolvendo em esquemas ilícitos na sua área e nos bairros vizinhos.

No aniversário de 100 anos do início da Primeira Guerra Mundial, a Editora Rocco apresenta um inédito e brilhante estudo sobre o impacto do conflito na América Latina, especialmente no Brasil e na Argentina. Escrito pelo historiador francês Olivier Compagnon, professor da Universidade Sorbonne-Nouvelle, o livro explica como a Grande Guerra foi um divisor de águas nas relações entre o Velho e o Novo Continente. 
Inspiração para as elites das jovens nações americanas no século XIX, a Europa deixa de ser um exemplo de civilização após os conflitos iniciados com o assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando da Áustria, em 28 de julho de 1914. Neste vácuo, argumenta Olivier Compagnon, é que a busca por uma identidade nacional ganha força, distanciando políticos e intelectuais de suas matrizes europeias. O nacionalismo político e cultural ganha força na América Latina após o armistício de novembro de 1918 e os Estados Unidos passam a ser um ator político fundamental na região.


Na continuação de A dádiva do lobo, em que narra a surpreendente formação de um lobisomem, Anne Rice traz de volta o jovem Reuben Golding, antes um simples repórter do San Francisco Observer, agora transformado num híbrido entre dois mundos e vivendo sob a tutela dos Morphenkinder na suntuosa mansão de Nideck Point, na costa da Califórnia. Às vésperas do Natal, Reuben está tomado pela dádiva do lobo. Mas apesar do clima festivo, ele se sente inquieto, assombrado por fantasmas de seu passado e por dúvidas em relação ao verdadeiro significado do que se tornou no assustador e excitante Os lobos da invernia.


Mais que uma viagem às origens após o terremoto que causou destruição na Nova Zelândia em 2011, Lloyd Jones faz um resgate das histórias e da conturbada trajetória de sua própria família em Uma história de silêncio. Depois dos bem-sucedidos O Sr. Pip e de Mundos roubados, ambos publicados pela Rocco, o autor neozelandês se expõe de maneira corajosa e relata como a base familiar é fundamental para a formação de cada um de nós.
Remexendo em objetos, lembranças e sentimentos vêm à tona numa viagem emotiva quando o escritor decide retornar a Christchurch, sua cidade natal, após o abalo violento – “como o estalo de uma toalha de mesa sendo sacudida” –, conforme ele próprio define o estrago do terremoto devastador. Em seguida, também passa por lugares como Swansea, no País de Gales, e pela região montanhosa da Nova Zelândia.



Um sujeito inseguro, ansioso e um tanto depressivo. Seus dois únicos prazeres na vida: a música e a literatura. Assim é Soren, o protagonista e narrador de O outro lado da sombra, romance de estreia da carioca Mariana Portella.
Através de uma trama envolvente, a autora descreve de forma objetiva as angústias de um protagonista que não desiste de se encontrar. Nem mesmo quando o destino não colabora. Desacreditado desde a infância até mesmo pela própria mãe, Eleonora, “você não é normal”, era uma de suas frases mais frequentes, Soren nunca soube o significado de felicidade.



O leitor vai matar saudade. Philip Marlowe, um dos maiores detetives da história da literatura policial, está de volta. E, melhor ainda, do mesmo jeito que deixou as páginas do romance Playback, publicado em 1958, o sétimo e o último que o escritor americano Raymond Chandler escreveu com o mesmo personagem. Ressuscitado em A loura de olhos negros, lançamento da editora Rocco, ele continua um sentimental e um solitário, espécie de “cavaleiro andante” moderno, a bordo de um velho Chrysler que cruza as ruas de Los Angeles, cidade infestada de chantagistas, mexicanos brutais, policiais corruptos, políticos escroques, magnatas da imprensa, traficantes, toxicômanos, ninfomaníacas, gigolôs, aspirantes a estrelas e astros de Hollywood.


Em sua estreia na Rocco e marcando também a chegada do selo Fantástica, a escritora Carolina Munhóz, ganhadora do Prêmio Jovem Brasileiro por seu primeiro livro, A fada, apresenta O Reino das vozes que não se calam, escrito em parceria com a atriz e cantora Sophia Abrahão. Espécie de conto de fadas contemporâneo, em que um mundo mágico é palco para uma história de autoconhecimento e o poder dos sonhos, o romance conta a história de Sophie, uma garota cansada de sofrer com a indiferença das pessoas até descobrir um Reino onde seus talentos são reconhecidos. Cedo ou tarde, porém, ela terá que decidir entre a realidade e a fantasia, numa jornada repleta de descobertas e desafios.


Autor de livros infantis e obras de economia, o carioca Paulo Valente aprendeu a contar histórias com sua mãe, a escritora Clarice Lispector, e seguiu a tradição contando para seus dois filhos. Agora, ele estreia na ficção adulta com Lealdade a si próprio, romance histórico que tem como pano de fundo a Segunda Guerra Mundial. No livro, ficção e dados reais se misturam para contar a história de filhos de imigrantes alemães, japoneses e italianos que, quando o Brasil abandonou a neutralidade para entrar na guerra, tiveram que escolher entre lutar pelo país que os acolheu ou manterem-se fiéis às suas origens. Acompanhando a trajetória de três personagens de origens diferentes, cujas histórias por vezes se cruzam ao longo da trama, o romance se estende até os dias atuais.




Logo nas primeiras páginas de Reflexos do sol-posto, Ivan Junqueira avisa que o leitor está diante de sua última coletânea de ensaios. Com uma longa trajetória como crítico e ensaísta (seus primeiros textos do gênero foram escritos na década de 1960), o poeta e acadêmico Junqueira reúne nesse livro críticas e análises feitas depois do ano 2000, refletindo sobre o cenário nacional das letras. Machado de Assis, Augusto dos Anjos, João Cabral de Melo Neto estão entre os autores cuja obra o poeta e ensaísta se detém em reflexões profundas.



O demônio-rei Asteroph pretende invadir a dimensão do planeta Terra. Para isto precisa de um exército e vencer a Dádiva na Noite da Serpente, mas cinco humanos podem atrapalhar os seus planos. Cinco pessoas sem qualquer relação entre si, que acordam em diferentes regiões de uma outra dimensão. Um lugar devastado e habitado por criaturas incríveis, em uma violenta guerra com um demônio assustador e seus temíveis seguidores.



 



Thalita Rebouças estreou na literatura infantil em 2013 com Por que só as princesas se dão bem? e, com seu bom humor característico, conquistou as leitoras mirins ao contar a história de Bia, uma garota apaixonada por princesas... até se tornar uma! Em seu segundo livro voltado para os pequenos, a “musa teen”, que soma mais de 1,4 milhão de exemplares vendidos, traz Bia de volta, numa história que não vai deixar ninguém dormir!




Como falar sobre a morte com crianças? Este é um desafio que poucos escritores ousam enfrentar. Frei Betto o faz, com delicadeza e sensibilidade, em Começo, meio e fim, seu primeiro infantil pela Rocco. O livro conta a história de uma menina que, numa visita ao avô adoentado, acaba aprendendo um pouco mais sobre a vida, o amor e a fé, ao lidar com a iminência da morte. Afinal, ela logo percebeu que aquele domingo não tinha cara de algodão-doce como todos os outros, e até a avó, cujo semblante lembrava bolo de chocolate, naquele dia estava mais para farinha crua... A linguagem descomplicada e as graciosas ilustrações de Vanessa Prezoto tornam o assunto menos amargo para os pequenos.




Olá, leitores.

Infelizmente minhas férias oficialmente acabaram, aqui só no natal (chorando litros) então as resenhas estarão reduzidas já que até nas próprias férias, por causa da minha ressacada com Vampire Academy, não li muitos livros. 

Farei o possível para ler mais e postar resenhas, mas enquanto isso vamos começar a segunda feira falando de autoras que mudaram gerações. Pensei bastante sobre isso e resolvi fazer um post falando desses autores e dos livros que mudaram vidas.

Eles não estão em lista de favoritismo, até porque alguns deles eu ainda não li (e nem tenho vontade). Se você quer saber quais foram os autores que mudavam a vida de leitores, continue lendo.


Heey !

Há um tempo li um post sobre como ganhar dinheiro com o blog, e uma das dicas tem me ajudado muito. Criar os posts com todo cuidado e preparação. Pensando nisso queria ter logo com que falar no domingo, já que é um dia que quase não tem postagem por aqui.

Depois que conheci o canal/blog da Giu do Amount Of Words onde tem muitas resenhas e dicas de livros em inglês passei então a lê-los. Quanto colocava os títulos no google na maioria das vezes não aparecia o Skoob, aparecia o Goodreads. 

Notei que muitos leitores amam o Skoob, e faço parte desses leitores, mas também percebi que a maioria não conhecia o Goodreads. Embora seja um site americano não é preciso ter conhecimento na língua para usá-lo. É bem simples e fácil, embora a interface do Skoob seja mais "limpa" a do Goodreds é um tanto nostálgica.

Decidi então apresentar os dois em detalhes para vocês, contar os pós e contras de ambos a partir do meu ponto de vista. Se ficou curiosa para conhecer mais dessas duas redes continue lendo esse post.


Heeey !

Parece que é quase uma regra sinistra, todo leitor será viciado em séries. Eu tenho muuuitos vício nelas, sempre que aparece uma nova lá estou eu arrastando minha irmã mais nova para assistir comigo. 

Na minha casa não vemos novela, por nenhum motivo em especial na verdade, gostamos de séries então sempre nos reunimos na frente da televisão para assistirmos alguma. Até meus avós gostam.

Confira uma lista de 5 séries que você tem que assistir.