Título Original: Crescendo



Páginas: 283


Autor: Becca Fitzpatrick


Editora: Intrínseca 


Tempo de leitura:  Um Semana


Nota: 3 /5





Heey !

Tenho um problema com a Nora, sem dúvida. Essa era a segunda vez que eu tentava ler o livro, e finalmente consegui terminar a leitura do segundo livro. Depois de um amigo meu insistir muito sobre como a história era boa.

Nora deveria saber que sua vida estava longe de ser perfeita. Apesar de começar uma relação com seu anjo da guarda, Patch (quem, título à parte, pode ser descrito como qualquer coisa, menos angelical), e sobreviver a um atentado a sua vida, as coisas não parecem melhorar. Patch está começando a se afastar e Nora não consegue descobrir se é para o seu próprio bem ou se o seu interesse voltou-se para sua arqui-inimiga, Marcie Millar. Sem contar que Nora é assombrada por imagens de seu pai e ela fica obcecada querendo descobrir o que realmente aconteceu com ele naquela noite em que ele partiu para Portland e nunca voltou para casa. Quanto mais Nora se aprofunda no mistério da morte de seu pai, mais ela começa a se perguntar se sua ascendência nefilim tem algo a ver com isso, assim como o por quê de ela estar em perigo com mais freqüência do que as garotas normais. Já que Patch não está respondendo suas perguntas e parece estar atrapalhando, ela tem que começar a procurar as respostas por si só. Confiar demais no fato de que ela tem um anjo da guarda põe Nora em perigo de novo e de novo. Mas ela pode mesmo contar com Patch ou ele está escondendo segredos mais obscuros do que ela pode imaginar?

Nora me irritou a maior parte do livro, diversas vezes parei a leitura determinada a não continuá-la. Ela é a pior mocinha de todos os tempos, superando até mesmo a Clary Fray de Os Instrumentos Mortais, é o tipo de heroína que acha que pode resolver o mundo sob seus pés. E isso me incomodou na leitura.

É um livro que no meu ponto de vista ganha pelos personagens secundários. Scott, Vee, Rixon, Patch e até Marcie.  O pronto, também positivo, é que mesmo a Nora sendo chata as narrações são imparciais. Não interfere na história inteira. É como se fosse outra Nora que narrasse, então se você também não gosta dela esqueça a personagem e foque na história como um todo.

Nesse livro Patch e Nora aparentemente estão bem. Começam sua linda história de amor em um dia na praia. Gosto da sensualidade que ambo tem, é dificil um livro desse gênero ser sensual. Geralmente os casais são sem graça, bonitinhos, mas não tem aquelas piadinhas ácidas que são tão engraçadas como os dois.

Nora obviamente parece não entender os perigos de ela e Patch estarem juntos, ela não deixa ele "respirar" sem ter uma objeção sobre o que ele estava fazendo. Se eu não odiasse a Marcie acharia incrível o fato de ela estar "namorando" com o Patch.

Como era de se esperar Nora faz um grande estardalhaço por eles estarem "saindo", lembrando que ele só fez isso porque Nora terminou com Patch por ele estar "mentindo" para ela. Como sempre ela tira as conclusões precipitadas de absolutamente tudo em que pensa.

Rixon e Vee estão namorado, a principio essa parece ser uma informação banal e não interfere na ligação Nora/Patch. Os personagens da história trazem consigo mistérios e o modo como Becca apresenta isso através deles é incrível e chocante.

O livro não tem pontos baixos, são acontecimentos importantes e emocionantes um seguido do outro. Não há uma trégua. É tudo seguido, e isso é bom porque não dá tempo de focar em como a Nora é infantil ás vezes. 

Perto dos acontecimentos finais do livro, já que ele não é muito grande, ficamos sem fôlego. Eles surgem um atrás do outro, encaminhando o livro para a tão esperada continuação. Nora se mete em mais confusões, os bonzinhos se mostram maus, Patch explica como os arcanjos estão viciando ele e Nora.

As partes de tirar o fôlego realmente me fazem amar a história, principalmente o Patch e quando ele entra nos sonhos da Nora. Quando o livro acabou eu estava sedenta por mais, eu só queria mais e felizmente, como são livros não são meus eu já tinha Silêncio em mãos.

Recomendo a leitura para leitores pacientes, porque a Nora realmente é incrivelmente chata.



Deixe um comentário